domingo, fevereiro 05, 2017

Não tenhas dó, Benfica

No pacato decorrer do jogo do Porto na Amoreira, assim que os primeiros petardos atingiram a relva e a fumarada escondeu de todos os olhares a baliza do Estoril, incluindo o guarda-redes Moreira, logo o perspicaz comentador do do serviço televisivo se apressou a destacar o alto sentido cívico do líder dos Super Dragões, que lá descortinou, naquele transe opaco, a pôr cobro à situação ralhando veementemente com os atiradores à solta na bancada. Uma coisa destas não é novidade, Quando, há três semanas, dois elementos supostamente da mesma claque invadiram por volta das cinco da tarde o centro de treinos dos árbitros para "ameaçar de morte" - de acordo com o que se leu na imprensa - Artur Soares Dias, logo às oito das noite todos os serviços noticiosos da televisão transmitiram em directo o "repúdio" do líder dos Super Dragões pelo infausto acontecimento na Maia. Não, Fernando Madureira não tem boa imprensa. Nós, os pagantes, é que temos má imprensa.

Não procure o Benfica justificação no raide ao centro de treinos dos árbitros-levado a cabo sabe-se lá por quem - para os últimos pontos que esbanjou. O Benfica empatou na Luz e perdeu no Bonfim, porque não soube ser superior, como lhe compete, às circunstâncias. Se quer ser outra vez campeão, não pode o Benfica entrar em campo cheio de dó dos árbitros que só sobreviverão às ameaças de morte se o mesmo Benfica perder pontos seja de que maneira for. Esta missão humanitária, sendo incrivelmente nobre, e altruísta, tem de acabar. O Benfica tem de tratar da sua vida apelando ao seu inato espírito de luta e, por sua vez, os árbitros têm de tratar das suas vidas apelando, por exemplo, à policia e aos órgãos disciplinares da popular modalidade, se é que estão para aí virados. 

Racionalmente, a verdadeira razão para os tropeções do Benfica no último terço do mês de Janeiro foi a meteórica passagem de Kelvin pelo Porto. É de desconfiar que o jogador brasileiro veio ao Dragão fazer uma perninha por sugestão das velhas forças espirituais que regeram com sucesso o emblema e que já tinham feito um muito especial "come back" no jogo com o Braga, lançando para o relvado uma galinha negra sem a qual jamais o Rui Pedro teria conseguido marcar aquele golo no expirar do tempo de compensação. Mal por mal, antes atirar com galinhas negras do que com bombas de fumo, dirão os adeptos providos de bom senso. Não tenhas dó, Benfica.


Fonte: Leonor Pinhão @ Record

Sem comentários: