sábado, março 05, 2016

Diz-me com quem jantas

Sendo a maior cidade portuguesa, Lisboa não passa de uma pequena metrópole europeia. É, ainda assim, suficientemente grande para albergar dois clubes de futebol de dimensão superior no que respeita à história de cada um, aos títulos conquistados em mais de 100 anos de rivalidade e também ao número de adeptos de que ambos se orgulham de possuir. 

Por ordem de entrada em cena, o Sport Lisboa e Benfica (1904) e o Sporting Clube de Portugal (1906) são parte integrante da "paisagem" e do tecido social da capital portuguesa. Por isso é vê-los, aos adeptos em dias de dérbi, como aquele que hoje mesmo se realiza, caminhando lado a lado rumo ao estádio ou aos cafés ou a casas de amigos e familiares onde assistirão ao jogo sentados no mesmo sofá, envergando garbosamente as cores que os distinguem, mas que não os podem separar porque, no fim de contas, todos vivem na mesma "aldeia" e – exceção feita aos "radicalizados" de um lado e do outro – todos, inevitavelmente, "são primos e primas" como na velha canção de José Belo Marques. 

Pois bem, essa pouca-vergonha acabou. À míngua de títulos e vendo-se ultrapassado pelos rivais, o Sporting elegeu, à segunda tentativa, um Bruno Miguel, um presidente "radicalizado". Trata-se de uma nova espécie, o jovial "hooligan" de gabinete, nascido e criado no seio das claques, o líder versado no autoelogio, no insulto à concorrência e com indisfarçada apetência por banir sócios cujo "perfil" não se adapta às práticas correntes que proíbem até a proximidade física com adeptos do rival como aconteceu durante mais de um século sem problemas de maior. 

Por exemplo, Pedro Proença, esse grande "querido" que, por inerência do cargo, foi à festa de aniversário do Sport Lisboa e Benfica passou a ser oficialmente um "agachado". Dois ex-dirigentes do Sporting, António Dias da Cunha e Menezes Rodrigues, passaram a "ovelhas tresmalhadas" porque jantaram com um grupo de amigos em que se incluía o presidente do Benfica. Também um diretor de jornal foi apelidado de tudo e mais alguma coisa nas distintas redes sociais porque almoçou com um grupo de amigos em que se encontrava um funcionário do Benfica. A PIDE já foi extinta há mais de 40 anos, mas, amigos sportinguistas, se querem evitar problemas com o novo regime tenham cuidado, tenham muito cuidado com quem almoçam ou jantam. Abstenham-se do convívio com a raça maldita dos "vermelhos" ainda que sejam amigos de longa data ou próximos por laços de sangue. É que um azar na família, francamente, toda a gente tem. 



Outras histórias 
Aventuras dos nossos treinadores  
Paulo Fonseca já está no Jamor e ainda está na Europa  O Sporting de Braga vai voltar ao Jamor e é a única equipa portuguesa apurada na Liga Europa. Aliás, exceção feita a Paulo Fonseca, os 16 avos de final da segunda competição da UEFA foram uma razia para os treinadores portugueses. O Porto de Peseiro, o Sporting de Jesus, a Fiorentina de Paulo Sousa e o Olympiakos de Marco Silva caíram com maior ou menor estrondo em fase ainda precoce da dita Liga Europa. Na Liga dos Campeões, e pelo menos até 4ª feira, há ainda em prova um treinador português, Rui Vitória. Se o jogo de São Petersburgo correr a preceito, o que não vai ser fácil, o Benfica atingirá os quartos de final da prova, uma bela proeza para um treinador estreante nestas altas cavalarias no estrangeiro. Na próxima temporada europeia, o batalhão de treinadores portugueses será enriquecido com o regresso de José Mourinho finda a pausa sabática pós-Chelsea. Diz-se que Mourinho é o próximo treinador do Manchester United. Fica-lhe bem o vermelho, isso já se sabe. 



Sobe e Desce Sobe 
Jonas - Pistolas da Europa 
Marcou mais 2 golos e já soma 25 na Liga. Já marcou a todos menos ao Sporting e ao Porto. É, correntemente, o melhor goleador da Europa. E hoje, como vai ser? 

William Carvalho - O tal pormenor 
Consumado o nulo em Guimarães, o médio sportinguista correu até aos adeptos para lhes lembrar um pormenor: quem é o líder do campeonato. E hoje, como será? 


Desce 
Magriços - Liberdades inadmissíveis 
O Benfica homenageou os Magriços de 66. Hilário e José Carlos foram ao palco na festa do rival arriscando ficar malvistos pelo atual regime de Alvalade. 


Pérola 
"Não tenho de torcer por um Sporting campeão", Marco Silva


Fonte: Leonor Pinhão @ correio da manha


Sem comentários: