domingo, dezembro 20, 2015

Desbaratando créditos

Jorge Sousa dirigiu na época passada uma quantidade significativa de jogos importantes. Saiu-se sempre airosamente, recebendo até aplausos de todos os lados, proeza digna de menção porque a arte da crítica em Portugal, seja o crítico amador ou profissional, é feroz e parcial. No suposto ano do 'colinho', o árbitro em causa fez de tudo menos dar cabo do seu bom nome na praça.

Na corrente temporada, que é a da "verdade desportiva" mas só enquanto o Sporting for líder do campeonato, o mesmo Jorge Sousa não tem feito outra coisa do que espalhar-se ao comprido, desbaratando metodicamente os créditos que lhe levaram anos a conquistar. Na mesma semana em que Sousa voltou a ser cabeça de cartaz pelos piores motivos, a UEFA tornou pública a lista de árbitros internacionais que vão estar na fase final do Euro'2016 e, evidentemente, não cabe lá nenhum português. 

Dirão os críticos de uma certa fação que a culpa é de Vítor Pereira, o presidente dos árbitros, visto que nos seus dez anos de mandato o Porto 'só' ganhou 7 campeonatos e o Benfica venceu 3, número considerado astronómico e que obrigou a mudanças nas cúpulas da Liga de Clubes na expectativa de uma próxima década mais feliz em que, bem feitas as contas, o Porto ganhe 9 campeonatos e o Sporting, vá lá, 1. E já é um pau.

Porque o Porto e o Sporting não podem garantir Jorge Sousa a apitar todos os seus jogos - pareceria mal - foi negligentemente mandado para Braga um outro árbitro, do tipo jovem, que cometeu a proeza de mostrar o primeiro cartão amarelo a Slimani aos 80 minutos de jogo. O argelino, excelente matador, consegue chegar ao fim de todas as partidas. Mas com os cotovelos doridos, de tal modo lhe é permitido usar e abusar do jogo de braços. Em Braga, onde deu mais um festival da sua arte, viu-lhe ser mal anulado um golo já no prolongamento da decisão da eliminatória da Taça. Na verdade, já deveria ter sido posto fora do campo há muito, muito tempo. É por estas coisas que os árbitros portugueses vêem cair a pique a sua cotação internacional. A Lei da Compensação é muito traiçoeira.

Assim que terminou a lamentável prestação do Benfica na Madeira, na última terça-feira, o treinador do Benfica saiu-se com esta: "Fica uma segunda parte boa em que o União praticamente não chegou à nossa baliza." E pronto, sobre este assunto não há mesmo mais nada a dizer."


Fonte: Leonor Pinhão @ record

Sem comentários: