domingo, janeiro 07, 2018

Quem tem estrelinha?

Uma grande dúvida ocupava com igual intensidade as cogitações dos adeptos do Benfica e do Sporting à saída do Estádio da Luz na noite da última quarta-feira. Perante o que se viu naqueles noventa minutos realmente intensos e perante o resultado com que terminou o dérbi da cidade de Lisboa, qual dos dois emblemas se pode vangloriar da fortuna e chamar para si os benefícios daquela coisa indefinível a que se convencionou chamar de "estrelinha de campeão"? Jorge Jesus explicou no fim do jogo aos jornalistas e à população em geral que o empate registado "não era um bom resultado para o Sporting" mas que "era um resultado pior para o Benfica" e, com toda a franqueza, não deixa de ter razão o treinador do Sporting. Perder pontos em casa é sempre uma contrariedade para quem joga para o título e perder em pontos em casa no confronto com um concorrente directo ao título é ainda pior.

Do lado do Benfica, veio muita gente dizer que o ‘penta’ está ao alcance dos tetracampeões se a equipa mantiver a motivação, a entrega e, principalmente, o nível exibicional do dérbi. Ora uma proeza destas nunca será fácil – não porque falte vontade aos jogadores de Rui Vitória – mas porque de campeões fiados num sistema que os torne capazes de substituir com êxito prático médios defensivos por extremos ou defesas centrais por médios ofensivas nos momentos do tudo ou nada não reza a História. A ousadia – ou desespero? – de Rui Vitória nos vinte minutos finais do dérbi terá sido compensada com, do mal o menos, a conquista do empate ao cair do pano e, por isto mesmo, houve benfiquistas que saíram do estádio satisfeitos por considerarem que a "estrelinha de campeão" morava, pelo quinto ano consecutivo, na Luz. É que o Benfica jogando muito desguarnecido lá atrás não só conseguiu não sofrer mais golos como conseguiu carregar com tal fúria sobre o adversário que, à quarta mão na área leonina, o árbitro não teve outro remédio que não fosse assinalar o penálti que Jonas converteria no golo do mais do que justificado empate.

Perante os factos de quarta-feira é, no entanto, mais fácil de aceitar a convicção sportinguista de que a "estrelinha de campeão" mora em Alvalade esta temporada. É certo que Rui Patrício não foi obrigado a trabalho apurado. Mas como retirar ao Sporting a bênção da tal "estrelinha" quando saiu relativamente incólume da Luz depois daquele quase autogolo de Coates, daquele quase autogolo de Piccini e daquela "bicicleta" final de Raúl Jiménez no culminar de muitas outras situações de aflição? Quem tem estrelinha? Aqui está uma questão que não vai ter resposta até maio.



Fonte: Leonor Pinhão @ correio da manhã

Sem comentários: