sábado, novembro 25, 2017

6 minutos para marcar 3 golos

No minuto 84.º do jogo CSKA-Benfica com o “placard” em 2-0 a favor dos donos da casa, precisando o Benfica de ganhar o jogo, no mínimo por 3-2 para suplantar o resultado conseguido na Luz pelos russos, e confiando espiritualmente numa vitória do Manchester United em Basileia – o que não viria de todo a acontecer – atirou de supetão o treinador do Benfica com o sérvio Andrija Zivkovic para o relvado segredando-lhe, baixinho, ao ouvido gelado: “Vai, miúdo, tens 6 minutos para marcar 3 golos!”, o que também acabou por não suceder. O futebol, na verdade, tem destas coisas incríveis. O melhor que Zivkovic ainda conseguiu foi cobrar um pontapé de canto de que resultou um alívio da defesa moscovita. Que chatice, Zivkovic. Assim não vais a lado nenhum.

O presidente do FC Porto responsabilizou os “Ruis Gomes das Silvas” e os “Goberns” pelo momento destemperado do futebol português. “Há muitos anos que estes senhores minam o futebol português e o clima na arbitragem”, especificou. Dito isto, e não foi pouco, apelou o mesmíssimo presidente do FC Porto a um momento de “meditação” geral. Pois muito bem, vou seguir-lhe o conselho e meditar um bocadinho sobre tamanhos assuntos e já cá volto.

O melhor momento da semana no que diz respeito à comunicação do Benfica – se entendermos a “comunicação” como a arte de expressar a cultura de uma agremiação nos bons e nos maus momentos e até nos momentos assim-assim – foi a intervenção do senhor Jonas mal terminou o jogo com o CSKA consumada a eliminação do campeão português de toda e qualquer aventura europeia até à próxima temporada. Que se apresenta longínqua, muito longínqua. Ainda equipado e com os cabelos em natural desalinho, disse Jonas, entre outras coisas mais circunstanciais, ao jornalista que lhe apareceu pela frente na zona das entrevistas rápidas: “Devemos dar os parabéns às equipas que se classificaram”. Melhor e mais rápido do não se podia pedir ao extraordinário jogador brasileiro que está à beira de marcar o seu centésimo golo com a camisola do Sport Lisboa e Benfica. Jonas é História.

Bem tento seguir o apelo do presidente do FC Porto em prol da urgente “meditação” geral sobre os malefícios causados ao futebol português pelas pessoas que há muitos anos “minam o clima na arbitragem”. Mas é tão difícil atingir este estado de abstração proposto pelo grande Dalai Lima. Por mais que uma pessoa se esforce é praticamente impossível.

O Conselho de Arbitragem da FPF autorizou a transmissão audiovisual em direto das azáfamas vividas no Centro do Video-Árbitro no decorrer dos jogos do campeonato. Seria uma belíssima e profícua medida de saneamento dos costumes se Portugal fosse culturalmente um país europeu. Não sendo, é de temer o pior. Meditemos.



Fonte: Leonor Pinhão @ record

Sem comentários: