sábado, maio 27, 2017

O prolongamento do prós e contras no dia seguinte do frente a frente

– E, mais uma vez, Portugal cresce por causa do meu clube.

– O seu clube foi claramente beneficiado.

– Não foi, não. Foi um crescimento limpinho, limpinho.

– O seu clube foi escandalosamente beneficiado por uma conjuntura favorável que, aliás, se deve ao meu clube.

– Então não vinha aí o diabo? Eu sei bem o que se disse e o que se escreveu quando nós começámos a repor rendimentos. Que vinha aí o diabo. Afinal não veio. O sotôr desiludiu milhares de satânicos.

– Não veio o diabo porque vocês cortaram o investimento público. Olhe para as estatísticas em câmara lenta, que se vê melhor. Olhe ali o investimento público a ser claramente ceifado.

– É falso, o governo nem lhe toca.

– Toca, toca. Leia os técnicos do Conselho de Finanças Públicas. São unânimes.

– São unânimes porque estão todos ligados ao seu clube. Também diziam que o défice não ia cair.

– O défice caiu porque foi empurrado.

– Não foi, não.

– Foi, foi. Foi claramente empurrado pelos empréstimos do BCE.

– No máximo há um encosto, mas não é um empurrão. O que conta é a intensidade, e não houve intensidade suficiente da mão do BCE para fazer o défice cair.

– Houve, houve. É um empurrão claríssimo. Sem o colinho do BCE o défice não caía. É um escândalo, este colinho. O crescimento deve-se sobretudo às reformas operadas pelo meu clube.

– Quais? Diga uma.

– Várias.

– Diga uma!

– São inúmeras.

– Diga uma!

– Não interessa estar agora a dizer. As pessoas lá em casa sabem.

– Você está permanentemente a adulterar a verdade económica. Agora temos uma verdadeira descida do desemprego. Consigo, era causada pela emigração. Você não apostava nos jovens.

– Nós sempre apostámos nos jovens. Mas também precisamos de estrangeiros. O turismo é fundamental. Tem de haver um equilíbrio.

– O nosso clube conseguiu esse equilíbrio. O seu clube criou um ambiente de grande crispação, ao passo que nós sempre contribuímos para a pacificação. Repare que agora não há greves nem contestação.

– Mas isso é porque o seu clube tem duas claques ilegais que o apoiam. O meu clube estava a pôr Portugal no caminho certo.

– Então porque é que perderam as últimas eleições?

– Não perdemos, vocês ganharam essas eleições na secretaria.

– Cá está você a alimentar o clima de suspeição que afasta as pessoas das urnas.

– Não lhe agrada. Não quer ouvir.

– Não se irrite. Acalme-se.

– Não quer ouvir. Isto é lamentável.

– Está muito nervoso. Tenha calma.



Fonte: Ricardo Araújo Pereira @ visão


Sem comentários: