segunda-feira, março 06, 2017

Com arroz do mesmo

O mesmo fiscal de linha que não viu a falta cometida sobre Carrillo na área do Vitória de Setúbal nos instantes derradeiros do jogo no Bonfim a contar para o campeonato também não viu que Mitroglou estava em posição irregular quando marcou pela segunda vez no Estoril no jogo a contar para a Taça de Portugal. Que pena, que lástima não ser possível trocar a ordem destes erros de avaliação do "bandeirinha" de serviço, o que seria bastante, em prol da verdade desportiva, para o transformar em decisões corretas, corretíssimas, penálti em Setúbal - quem sabe se não resultaria em golo? - e golo invalidado na Amoreira - quem sabe o que nos reserva o jogo da segunda mão da meia-final da Taça de Portugal a disputar entre Benfica e Estoril no Estádio da Luz.

Prossegue, entretanto, em todo o seu esplendor a Operação Fénix nos tribunais e a Operação Fónix à porta das casas dos árbitros, e dos seus familiares e afins. Esta noite, em Santa Maria da Feira, vai apitar o Feirense-Benfica o mesmo árbitro que foi ameaçado de morte nas instalações do Centro de Treino dos árbitros na Maia. Continua vivo, portanto, e é essa a feliz ilação a tirar da sua nomeação para o jogo na Feira. O árbitro continua vivo e continuam à solta e com apetite os meliantes que o ameaçaram. Nunca se fartam de polvo, muito menos com polvo com arroz do mesmo.

Também Kostas Mitroglou não se farta de marcar golos. O grego tem sido uma bênção para o Benfica nesta fase em que o futebol dos campeões nacionais vem apresentando um bocadinho, enfim, bisonho. O departamento de marketing do Benfica, até para provar que também está dez anos à frente da concorrência, bem poderá encomendar bonequinhos de Mitroglou. Aquelas figurinhas com mola que se colam nos tabliers dos automóveis e que se agitam com o andar da carruagem. E, assim, teríamos em todas as viagens a companhia de Mitroglou e da sua maravilhosamente minimal e aristocrática forma de saudar o público, que o ama tanto, como a rainha de Inglaterra saúda os seus súbditos. Atenção, só a mão é que mexe. O bonequinho de Mitroglou, para ser um sucesso igual ao original, teria a respectiva mola na ligação do antebraço com a mão régia com que nos saúda no fim de cada jogo com toda aquela parcimónia só ao alcance de um predestinado."


Fonte: Leonor Pinhão @ Record

Sem comentários: