domingo, novembro 06, 2016

Lá vai o golfe regressar

"Ódio eterno!" Foi este o apelo institucional do líder dos Super Dragões no aparentemente pacato decorrer desta semana que antecede o jogo Porto-Benfica. Contem, portanto, os jogadores do Benfica com mau tempo para amanhã. Vai chover. Mas não água a cair do céu. Trata-se de outro fenómeno meteorológico, o do regresso da chuva de bolas de golfe. 

"Guerra é guerra", insistiu o líder da claque. Ficaram assim a saber os jogadores, técnicos e roupeiros do Benfica que à chegada ao balneário que lhes estará destinado irão confrontar-se com a impossibilidade de transpor a porta, outro fenómeno que andava desaparecido há um quarto de século. 

Aguarda-os a histórica fórmula composta por 50% de formol e 50% de aguarrás que produzirá pestilência bastante para obrigar os campeões nacionais a equiparem-se nos corredores, sob pena de um desmaio coletivo antes do ansiado momento da entrada em campo. 

"Enquanto formos bons rapazes, seremos sempre comidos." Persistiu o líder da claque e "capitão" do fabuloso Canelas. Prepare-se o presidente do Benfica para abandonar o recinto desportivo agachado no interior de uma prestável ambulância que o deixará, intacto espera-se, na estação das Devesas ou, se a coisa embravecer ainda mais, na estação de serviço de Antuã na A1. Depois que siga toda essa comitiva de beduínos a penates até à capital da Mouraria, o horroroso centro infecto do macrocefalismo lisboeta que urge fazer arder. 

"Futebol não é ballet!", exclamou o líder da claque a propósito das críticas maldosas e infundadas ao seu Canelas. No fundo, trata-se tão simplesmente de uma mensagem sub-reptícia para aquela desgraçada miniatura de jogador argentino que dá pelo nome de Franco Cervi. Que não te atrevas, pequeno Cervi, a calçar as sapatilhas e a jogar em pontas no palco do Dragão, que não te atrevas a insistir naquelas piruetas em meio metro quadrado com que, ainda na terça-feira, confundiste uma quantidade de ucranianos. Se fizeres isso, ou coisas parecidas, serás sugado por um raio vindo do céu e nunca mais ninguém te põe a vista em cima. 

"Estes roubos têm de acabar!" Explicou o líder da claque ao árbitro que vai estar em campo condicionadíssimo por esta sede de justiça que aflige o progresso. Pobre árbitro e ainda mais pobre serás se, logo nos primeiros 30 minutos, não desenrascares os oito reclamados penáltis que estão em falta para que os grandes problemas do nosso mundo acabem, tendo em conta que até o secretário-geral da ONU é um lampião que não engana. Oh, valha-nos Deus! 



O que Salvio empresta ao Benfica já rendeu uns milhões este ano 
A maior surpresa deste arranque do Benfica não é o facto de a equipa ter sobrevivido a uma impressionante vaga de lesões, não é o talento de Cervi nem é a eficiência de Pizzi, que joga onde o mandam jogar, exibindo uma capacidade de adaptação digna de elogios. 

A surpresa maior é o regresso de Eduardo Salvio a uma condição de excelência que iguala a dos seus mais produtivos momentos ao serviço da equipa que representa há coisa de meia dúzia de anos. Salvio sofreu uma lesão muito grave no último jogo de 2014/2015 e passou a temporada seguinte, a última, a recuperar e a ver de longe os companheiros em ação. 

Os minutos de jogo que o Vitória lhe concedeu no fim da época passada somados aos bisonhos minutos de jogo que o argentino foi somando nesta pré-temporada não faziam prever que Salvio voltasse a ser o que era: um jogador de elite. Feliz a hora em que no Benfica não o vendeu nem o emprestou a ninguém, porque só o que ele empresta à equipa já rendeu uns milhões este ano.


Fonte: Leonor Pinhão @ correio da manha

Sem comentários: