domingo, julho 03, 2016

Liga cala comentadores

A Liga de Clubes anda numa roda-viva para regular o que, por natureza, não tem regulação possível. É certo que na última temporada entrou em campo uma nova arma que em muito contribuiu para embrulhar o campeonato, as taças e tudo o que mexe num invólucro de suspeição e de desconsideração que nunca se tinha visto. Trata-se da arte do "comentadorismo" nas estações de TV que funciona todos os dias em todos os canais até à exaustão do público e ao desespero dos visados que, reconheça-se, são todos os que, por estatuto ou ambição, andam nestas vidas de discutir títulos e outras honrarias o ano inteiro. 

Não foram poucas as vezes que os departamentos de comunicação do Benfica e do Porto, através das vias oficiais, e o presidente do Sporting, através da sua conta pessoal no Facebook, se insurgiram veementemente contra este ou aquele comentador por ter deixado escapar uma verdade incómoda ou uma aldrabice de todo o tamanho em função dos gostos de cada um. Na época passada o estatuto de "comentador" ganhou foros de uma importância tão grande que, dizem os estudiosos, pode decidir títulos e processos judiciais. Foi esta a novidade de 2015/2016 e desse espetáculo diário nasceram inauditas trocas de insultos. 

O Sporting, por exemplo, apelidou de "cães de fila" os comentadores do Benfica, o Benfica de uma maneira geral ignorou os comentadores do Sporting concentrando-se no presidente do clube, diagnosticando-lhe um transtorno funcional, e o velho Porto de Pinto da Costa, quando perdeu tudo, recuperou o chavão do "centralismo da Capital". Agora veio a Liga tentar pôr cobro ao "comentadorismo", anunciando disposições tomadas em assembleia geral: os comentadores que passem das marcas serão multados – mas quem estabelece as marcas? – e os dirigentes de clubes e SAD ficam proibidos de participar regularmente em programas de debates – mas, na realidade, que poder legislativo tem a Liga para impor a cidadãos da República limitações ao uso da liberdade de expressão? Todas estas questões serão respondidas quando a época oficial começar e todos os comentadores voltarem à liça desprezando olimpicamente os ditames da Liga no que respeita à contenção e urbanidade. Só pode ser assim: ou se marimbam os comentadores das TV para as multas e proibições da Liga ou, num gesto de boa vontade, acatam as disposições da associação patronal do futebol e, para variar, vão passar a época de 2016/2017 debitando para as suas contas no Facebook tudo o que lhes vai na alma sem filtro. Isto porque o recurso ao Facebook não foi proibido pela Liga. E isso, sim, seria um escândalo. 



Outras histórias 
Ainda sobre a liberdade de expressão  
A propensão para diagnosticar nos outros o seu próprio mal 
A liberdade de expressão é um bem pelo qual vale a pena lutar todos os dias. Como nem no defeso o presidente do Sporting esmoreceu na pedalada oratória, merece reconhecimento. No último sábado, concedeu uma entrevista ao ‘Expresso’ e acusou o presidente do Benfica de ter "uma obsessão pelo Sporting". Levou até o diagnóstico mais longe: "É uma obsessão que é uma patologia e eu não tenho condições para curar patologias." É verdade, não tem. Houve logo quem, por maldade, visse nesta tirada a propensão clínica para diagnosticar nos outros o seu próprio mal. A "obsessão" pelo rival que o presidente do Sporting vê no presidente do Benfica tem graça mas não chega aos calcanhares de uma outra sua constatação, há já uns meses, quando, precisamente numa sexta-feira à noite, lamentou através da sua conta no Facebook os pobres tristes que, por não terem nada de útil para fazer, passavam as sextas-feiras à noite a publicar lamentos nas redes sociais. Isto sim, foi muito à frente. 



Sobe e Desce 
Sobe 
Contra a 'clubite' - Segunda Circular 
O abraço de Renato Sanches e Adrien Silva assim que terminou o Portugal-Croácia foi um maravilhoso gesto contra a lamentável "clubite" que reina no País. 

18 anos de ouro - Renato Sanches 
Estreou-se aos 18 anos num Europeu e estreou-se aos 18 anos a marcar num Europeu. Assinou o empate e converteu a sua grande penalidade nos desempates. Que mais? 

Estirada acertada - Rui Patrício 
A qualificação para as meias- -finais do Europeu ficou garantida com esta estirada de Rui Patrício no último penálti polaco. No momento decisivo, Patrício não falhou. 


Pérola 
"A única vez que Jesus foi empurrado foi pelo Cardozo", João Gabriel 



Fonte: Leonor Pinhão @ correio da manha

Sem comentários: