domingo, maio 01, 2016

Tristes lamentos

E, finalmente, o Benfica viu um jogador dos seus ser expulso, aliás bastante injustamente, porque André Almeida não encostou o penteado ao adversário de modo a merecer a gravidade de um cartão amarelo. O segundo amarelo, note-se bem. O primeiro foi justíssimo. André Almeida não vai jogar, assim, o próximo jogo. Ontem, com o resultado naquele tangencial 1-0 o que é já a imagem de marca do Benfica nesta ponta final do campeonato, o impassível lateral-direito salvou por duas vezes na mesma jogada o golo que seria do empate. Faltava um pouco menos de meia hora para o fim e teria sido uma grande aflição. Obrigada, André Almeida.

O Benfica, felizmente, já não vai acabar o campeonato - seja em que lugar for - sem expulsões. E, ao contrário do que reza e grita a propaganda, uma época sem expulsões não vale um campeonato. Veja-se o que aconteceu ao Porto sem expulsões de 2000/01 que ficou no 2.° lugar, ao Sporting sem expulsões de 2003/04 que ficou no 3.º lugar, ao Benfica sem expulsões de 2008/09 que ficou em 3.º lugar e até ao Paços de Ferreira sem expulsões de 2005/06 que ficou em 11.º lugar no campeonato, a 37 pontos do campeão, o Porto.

Ontem, houve alguns lamentos vimaranenses por causa da arbitragem de Bruno Paixão que, na minha modesta e parcial opinião, consentiu alegremente na rudeza e no anti-jogo dos visitantes e distribuiu uma mão-cheia de cartões amarelos para um lado e para o outro como é seu timbre. É caso para se dizer que o extraordinário empenho posto em campo pela equipa do Vitória de Guimarães durante o jogo se prolongou para lá das quatro linhas e, consumada a derrota, fez o possível por render ainda qualquer coisinha na zona das entrevistas.

Tudo aponta para que a Inglaterra consagre um campeão surpreendente. Trata-se do Leicester, "esse colosso do futebol inglês" tal como o presidente do Sporting o classificou no início da temporada com aquele desdém irónico super-super-inteligentíssimo a que nos vem habituando todos os dias de manhã, à tarde e à noite. Também não deixa de ser verdade que ninguém exigiria a Bruno de Carvalho que provasse ao mundo as suas capacidades de prever o futuro apostando as suas preciosas fichas no Leicester no verão passado. Mas quem apostou, ganhou. Ou, melhor, arrisca-se a ganhar porque, tal como em Portugal, também em Inglaterra os campeonatos só acabam quando acabam mesmo.


Fonte: Leonor Pinhão @ Record


1 comentário:

slot machines betclic disse...

O Leicester é fantástico e mereceu tudo o que conseguiu esta época!