sábado, abril 02, 2016

E a idade do Jonas?

Oh notários da propaganda, não estará na altura de investigarem a idade do Jonas? Sim, do Jonas. Alguém no seu bom e imparcial juízo acredita que o brasileiro tenha cumprido ontem 32 anos como garante o marketing vermelho? Impossível. Tem de ser muito, muito mais novo. Atente-se que foi passar uma semana com o “escrete” ao Brasil, fez duas viagens intercontinentais, ainda jogou uns minutos na terça-feira, aterrou em Lisboa na madrugada de quinta-feira e na noite de sexta-feira marcou um golo, assinou duas assistências artísticas para golos de colegas, jogou os 90 minutos e saiu de campo fresco que nem uma alface. 32 anos? Que escândalo.


“Renato Sanches ainda não me convenceu”, disse Augusto Inácio e é tão respeitável a sua opinião quanto são as demais opiniões sobre este ou qualquer outro jogador. Contudo, no que respeita à arte de se estar convencido, Inácio não é de confiança. Ainda no último mês de Setembro, afirmou-se “plenamente convencido” de que o jogador peruano Carrrillo iria “assinar” naquele mesmo dia a renovação do seu contrato com o Sporting. Já lá vão 7 meses e, notoriamente, nada.


Na Luz, o Benfica desembaraçou-se ontem do Braga com uma exibição a espaços empolgante mas quem brilhou a grande altura foram os magníficos adeptos que encheram o estádio e que cumpriram com respeito e emoção o minuto de silêncio em memória de Fernando Mendes, a antiga glória do Sporting. Haverá melhor resposta do que esta? Não, não há.


A fome (de justiça) terá levado uma mão-cheia de trabalhadores do jornal do Sporting a manducar 1000 euros, a fundo perdido, em comes e bebes num restaurante do Terreiro de Paço. E assim, se fez prova de que, para além de corruptos, os nossos árbitros são uns verdadeiros alarves. Mas, na realidade, o que valem estes 1000 euros sacrificados num ímpeto de congestão? Valem pouco, poucochinho, se nos lembrarmos que este repasto para 5-falsos-árbitros ficou por metade do valor que o Ministério Público entendeu ter sido depositado na conta bancária de 1-árbitro-assistente-verdadeiro, obviamente em prol da justiça desportiva e sem direito a bifanas.


O árbitro de ontem marcou um penalti contra o Benfica. Foi um malandro vindo de Monte Gordo que, assim, impediu o Benfica de bater o recorde mundial de tempo sem penaltis. Ficámos, neste capítulo, a 4 anos da marca do Sporting. É imbatível, paciência.


Fonte: Leonor Pinhão @ record



Sem comentários: