quinta-feira, janeiro 07, 2016

Amicum ex machina

Sem querer menosprezar a imaginação de Walt Disney, creio que o mundo de José Sócrates tem mais fantasia. Aos poucos, as crianças vão deixando de se identificar com os heróis da Disney, mas eu sou adulto (enfim, mais ou menos) e ainda gosto de me imaginar protagonista das maravilhosas aventuras de José Sócrates. São histórias que continuam a fazer-me sonhar. Sim, Cinderela é feliz para sempre depois de casar, mas Sócrates encontra a paz, a harmonia e a felicidade no divórcio. O príncipe cumula Cinderela de riquezas quando ela se torna sua mulher, mas Sócrates paga todas as contas da ex-mulher, o que é bem mais raro e difícil de imaginar. Peter Pan não quer crescer, claro, mas na Terra do Nunca é fácil permanecer criança. Sócrates recusa entrar no mundo dos adultos mesmo vivendo no mundo dos adultos. Tal como Mickey, não tem fonte de rendimento conhecida, mas vive com desafogo. A diferença é que as personagens de Walt Disney vivem num mundo de fantasia, no qual o dinheiro não tem o valor que lhe damos na vida real, ao passo que Sócrates vive num mundo muito parecido com o nosso, mas no qual o dinheiro também não tem o valor que lhe damos na vida real. Mas parece evidente que, sendo ambos fantasiosos, tanto o mundo de Sócrates como o do Mickey devem reger-se por regras próprias, diferentes das do nosso mundo. Não faz sentido acusar o Mickey de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais.

Disney opta por não justificar o estilo de vida das suas personagens: umas são príncipes e princesas, e supõe-se que tenham fortuna, outras vivem numa realidade imaginária, da qual o trabalho está ausente. Sócrates vive num mundo de fantasia porque tem um amigo fantástico. A explicação parece um deus ex machina mas não é. É um amicum ex machina.

A única semelhança é que este amigo, tal como deus, também aparenta ser omnibenevolente.

"Imagine no possessions", cantou John Lennon em 1971, sonhando com um mundo melhor e mais justo. Quatro décadas mais tarde, não conheço ninguém que esteja mais perto de realizar o sonho de Lennon do que José Sócrates. "Imagine all the people sharing all the world". Santos Silva partilha o seu dinheiro com Sócrates, que o partilha com vários familiares e amigos. Amigo dá a amigo que distribui por amigos.

"A brotherhood of man". Uma belíssima ideia. E, no entanto, Lennon levou quatro tiros nas costas e Sócrates esteve preso.

O mundo ainda não está preparado para a amizade fraternal.


Fonte: Ricardo Araujo Pereira @ Visão

Sem comentários: