quarta-feira, dezembro 25, 2013

A «Trégua do Natal» de 1914

Um excelente artigo de Natal que encontrei no site ZeroZero.pt. Partilho e deixo votos de Feliz Natal:

A «Trégua de Natal» foi um armistício espontâneo que ocorreu por entre as trincheiras da frente ocidental no Natal de 1914, durante a I Guerra Mundial. No meio da mortandade sem sentido da I Guerra, houve canções de natal, troca de presentes entre soldados alemães de um lado, e ingleses e franceses do outro, rezou-se pelas almas dos que partiram e houve até mesmo jogos de futebol, jogados na «terra de ninguém», nessa fria manhã de Natal... 


Nos dias que antecederam o Natal de 1914, nas trincheiras da frente ocidental, desde o Mar do Norte à fronteira com a Suíça, começaram a surgir sinais do espírito natalício. Dias antes, o Papa Bento XV, apelara a um cessar-fogo, prontamente recusado pelos dois lados do conflito. 

Na noite de 24, os tiros foram-se calando espontaneamente, ao longo da frente. Na zona de Ypres, na Bélgica, soldados alemães começaram a colocar velas ao longo das trincheiras, decorando-as com enfeites e começando a decorar também algumas árvores de Natal, ao mesmo tempo que entoavam canções de Natal. Do outro lado das barricadas, os ingleses responderam, começando a cantar as suas canções de Natal e algumas versões, das canções que os alemães já cantavam.

Saudações de «Feliz Natal» começaram a ser dedicadas ao inimigo, até que alguns soldados, pondo de parte as armas, avançaram para a Terra de Ninguém, onde ingleses e franceses, se encontraram com os alemães, começando a trocar os mais diversos presentes que tinham à mão, como chocolates, tabaco ou álcool.

Debaixo de um frio gelado, com muitos graus abaixo do zero, conseguiu-se aquecer o coração dos homens e celebrou-se o Natal, conversou-se, trocaram-se alimentos, abraços e sorrisos. Rezou-se em conjunto, recuperam-se os corpos de alguns dos que tinham tombado recentemente na zona entre trincheiras. A trégua, nalguns casos, só durou essa noite, voltando a artilharia a fazer estragos logo pela manhã.

A bola da paz

Porém, noutras zonas, a trégua continuou pelo dia de Natal fora (2), realizando-se diversos jogos de futebol entre os alemães e os aliados ocidentais. Dos mais diversos jogos que se jogaram ao longo de centenas de quilómetros da frente. 3-2, a favor de uma equipa de alemães, foi o único dos resultados que chegou até nós, documentado em cartas escritas nos dias seguintes, tanto por alemães como ingleses às respectivas famílias.

Essas cartas falam da emoção do momento, da alegria de partilhar um jogo, chutar uma bola com os homens que tinham tentado matar nos dias anteriores. A espontaneidade dos jogos de futebol na «terra de ninguém», demonstrou a dimensão que o futebol começava a ter entre os europeus, tornando-se já então, no desporto mais amado.

Fonte: Fura-Redes

Sem comentários: