sábado, novembro 18, 2017

Incríveis incredibilidades

A Web Summit é uma mistura bastante inteligente de eucaristia com salão erótico, uma vez que alia a crença devota em entidades etéreas invisíveis – como a Cloud –, com a tecnofilia – a excitação sexual provocada pela visualização e/ou o manuseamento de bugigangas electrónicas

Depois do centenário das aparições de Fátima, Portugal teve a sorte de acolher também, e no mesmo ano, a comemoração das aparições de Paddy Cosgrave, o responsável pela Web Summit. A Web Summit, como todos os certames que possuem um nome em estrangeiro, tem bilhetes muito caros e atrai a atenção da imprensa. É uma mistura bastante inteligente de eucaristia com salão erótico, uma vez que alia a crença devota em entidades etéreas invisíveis – como a Cloud –, com a tecnofilia – a excitação sexual provocada pela visualização e/ou o manuseamento de bugigangas electrónicas. Os websummíticos esgotam a lotação da Altice Arena e, durante quatro dias, têm pequenos êxtases místicos a ouvir falar de start-ups, que são empresas que abrem, recebem umas injecções de capital, consomem esse capital, e fecham. De vez em quando, uma destas empresas torna-se multimilionária e, em nome de um mundo novo e melhor, adopta todos os procedimentos das empresas multimilionárias do mundo velho e pior, como a tentação do monopolismo e aversão ao pagamento de impostos.

Na cerimónia de abertura, o já citado Paddy Cosgrave entra em palco vestido como se tivesse menos 20 anos e, para não deixar dúvidas de que nos encontramos num evento extremamente tecnológico, fala em frente a um cenário cheio de luzinhas de várias cores que acendem e apagam. Vê-se imediatamente que estamos na presença de uma pessoa que não acredita em coisas do passado. Por exemplo, em pentes. Cosgrave começa por dizer: “Sejam incrivelmente bem-vindos à Web Summit, e incrivelmente bem-vindos a Lisboa.” Pouco depois, diz: “É incrível que tenham vindo.” Mais à frente, promete: “Vocês vão conhecer pessoas incríveis.” Uma tal concentração de incredibilidade, além de cansativa, parece-me até potencialmente prejudicial à saúde. Depois de quatro dias de contacto intenso com coisas incríveis, os participantes vão sair da Altice Arena e, inevitavelmente, serão confrontados com coisas bastante críveis: arruamentos, edifícios, uma paragem de táxis. A passagem abrupta de um mundo incrível para um universo crível pode causar nas pessoas o efeito da ressaca da droga. Talvez fosse melhor que a Web Summit tivesse um plano de desmame progressivo em que, no último dia, os oradores seriam cada vez menos incríveis, até serem completamente críveis. Paddy Cosgrave não parece preocupado com este problema, tanto que continuou a encadear considerações incríveis. Primeiro fez referência ao seu filho de um ano (que não qualificou como incrível, mas julgo que estava subentendido), e depois revelou o nome da criança: Cloud. Não é tão incrível como se o miúdo se chamasse App, ou JavaScript, mas mesmo assim é bastante incrível.



Fonte: Ricardo Araújo Pereira @ Visão

Sem comentários: