sábado, junho 11, 2016

Umas tranças para Slimani

Desportistas geniais sempre houve e haverá. Contam-se às mãos cheias os atletas capazes de somar marcas inacessíveis aos demais mortais. Depois há os que fazem isso tudo e ainda dispõem daquele atributo raríssimo a que se chama carisma. E que não é para todos. Ou se nasce ou não se nasce com esse dom de uma individualidade excecional que não admite comparações e que suscita no vasto público sentimentos devotos que se transmitem de geração em geração. Tomemos o exemplo do pugilista Muhammad Ali que morreu na semana passada provocando consternação em todo o mundo. Ali, dizem os especialistas, não terá sido do ponto de vista técnico o melhor pugilista de todos os tempos mas foi, e continuará a ser, "o maior" à face da Terra pelo poder da sua personalidade, que fez dele um deus das arenas e fora das arenas. O que o carisma tem de maravilhoso é que não se pode encomendar nem comprar nem pedir emprestado. É uma dádiva, uma graça, um poder intrínseco. Não há agências de marketing nem departamentos de comunicação nem campanhas publicitárias que consigam cobrir de carisma quem quer que seja só pela vontade de valorizar o produto. 

Eusébio, mais um exemplo, tinha carisma. E por isso mesmo ainda hoje é venerado por gerações que nunca o viram jogar. Nas discussões sobre quem terá sido o melhor jogador de futebol de todos os tempos, os defensores de Pelé ficam sem palavras quando os defensores de Maradona somam à arte do argentino o fator tumultuoso do seu carisma que inspirou e inspira igrejas em Nápoles e centros de peregrinação em Buenos Aires. Como tudo na vida, também a excecionalidade tem um preço. O clube que contratar Zlatan Ibrahimovic sabe que lhe terá de pagar muito bem pela sua arte e ainda outra fortuna pelo carisma. Porque Zlatan é dos que tem "aquilo" que toda a gente quer ter. O Benfica só vendeu por um dinheirão ao Bayern uma pérola de 18 anos, Renato Sanches, porque os alemães quando o viram jogar detetaram não só o talento, que é potencial, mas também o carisma que está naquele gingar de menino de bairro pobre, naquelas tranças de rebelde com causa, naquele descaramento a jogar à bola contra qualquer adversário. 

Anda agora o Sporting a tentar vender Slimani por 30 milhões. Jesus, para ajudar, já disse que por aquele preço Slimani é praticamente dado. Nem assim apareceram interessados. E porquê? O que tem Renato que Slimani não tenha? Carisma, precisamente. E também tempo de jogo na Champions. E umas tranças, provavelmente. Arranjem-se umas tranças ao argelino e o Sporting ainda conseguirá fazer o seu negócio até ao fim do mês. 



Outras histórias 
Aos 32 anos chegou o momento 
A estreia absoluta de Quaresma como ídolo na Luz 
Ricardo Quaresma já leva uma carreira longa e emocionante. Em 2004, contribuiu para a vitória do Porto na decisão da Taça Intercontinental e em 2008, já ao serviço do Inter, foi apontado pela imprensa italiana como destinatário do troféu Bidão de Ouro que castiga o "pior jogador" da série A. Quaresma foi um ídolo no Porto mas nunca chegou a impressionar os seus treinadores em Barcelona, em Milão e em Londres, onde representou (pouco) o Chelsea. Presença habitual na seleção nacional, Quaresma chegou agora laureado como campeão da Turquia pelo Besiktas. Na temporada anterior esteve de volta ao Porto e trocou "aquele" abraço com Jorge Jesus que não o deixou especialmente bem visto no Dragão. Quaresma já teve de tudo no seu caminho. O que nunca tinha tido aconteceu-lhe, finalmente, na noite de quarta-feira. O público da Luz recompensou com o tratamento que dá aos seus ídolos a magnífica exibição de Quaresma frente aos atordoados estónios. Foi bonito. E foi diferente. 



Sobe e Desce 
Sobe 
Licor Beirão - Criatividade publicitária 
À laia de desculpas pelo momento "kung fu" de Bruno Alves em Wembley, o licor português produziu uma notável campanha publicitária dirigida ao mercado inglês. 

Bruno de Carvalho - São Cristóvão de Alvalade 
Impressionante a confiança na justiça desportiva exibida pelo presidente do Sporting que nem perde tempo nos seus discursos com o caso Paulo Pereira Cristóvão. 

Ederson - As doces palavras 
Em altíssima consideração na Luz ficou o guarda-redes brasileiro ao dizer que sonha em ganhar uma Champions pelo Benfica. O sonho é lindo. A realidade… 


Pérola 
"Agora vou mandar matar 10 porcos e 10 vitelos", António Fiúsa, presidente do Gil Vicente


Fonte: Leonor Pinhão @ correio da manha

Sem comentários: