sábado, maio 28, 2016

Campeões de malas feitas

O Benfica ultrapassou com enorme competência a fase final do campeonato – a fase das "malas", se bem estão recordados – mas, na abertura da próxima temporada, dificilmente se reconhecerão as caras do tricampeão nacional a confirmarem-se as anunciadas vendas em catadupa dos jogadores que venceram este último título tão rijamente festejado. E estas são as "malas" com que os adeptos do Benfica se terão de confrontar no defeso visto que, para já, não há jogador do campeão que não esteja de malas feitas para abalar. 

Normalmente é assim em todos os defesos. E não tem dado maus resultados por muito que custe, e custa, à nação benfiquista ver partir a cada abertura do mercado de verão uma quantidade de ídolos de todos os quilates e importâncias. Nos últimos anos, curiosamente, o Benfica até se tem dado ao luxo de vender jogadores no mercado de inverno quando a equipa se encontra totalmente embrenhada na discussão de títulos nacionais e internacionais. Assim aconteceu, num passado muito recente, e o Benfica, não obstante, foi campeão em Portugal. 

Lendo as notícias dos jornais sobre a cobiça estrangeira pelos jogadores do Benfica fica-se com a sensação de que o único deles que não vai ser vendido a qualquer momento é Renato Sanches e pela simples razão de que já foi vendido há coisa de um mês. Os adeptos, tal como lhes pertence por estatuto, preocupam-se todos os anos com estas situações de perda de talentos mas a verdade é que, contra muitas expectativas, têm vindo a celebrar títulos atrás de títulos como não se via há décadas. Assim sendo não espanta que o presidente do Benfica enfrente mais um mercado de verão no pleno gozo de um estado de graça que lhe confere carta-branca para fazer os negócios que melhor entender porque, e é isto que importa, no futebol mandam os resultados e, desse ponto de vista, as coisas têm corrido às mil maravilhas nos últimos três anos. 

Renato Sanches já fez a mala. Gaitán tem a mala quase feita. Jogadores importantíssimos neste último título como Ederson, Jonas, Talisca, Lindelof ou Jardel preparam-se para fazer as malas, garante-nos a imprensa nacional. São notícias que não podem deixar de ensombrar um bocadinho a alegria de sucessos recentes para o lado da Luz. E os mais pessimistas deitam as mãos à cabeça perante a debandada. Os mais otimistas encolhem os ombros com desfaçatez porque nada os abala. Já os mais apaixonados garantem que se o Benfica ganhou este campeonato "sem" treinador poderá tentar ganhar o próximo sem jogadores, o que ainda é mais difícil. 



Outras histórias 
Pinto da Costa e José Peseiro 
As grandes novidades da última cruzada contra Oeiras
Fiel a si próprio na cruzada contra Oeiras, o presidente do Porto faltou ao tradicional almoço entre os finalistas da Taça de Portugal patrocinado pela edilidade a que pertence o bonito vale do Jamor. Infiel a si próprio, o treinador do Porto gastou as suas últimas munições retóricas ao serviço do dragão acusando os árbitros pela perda do campeonato e ironizando finamente sobre os pobres dos clubes que salvam a época ganhando Taças da Liga. No fim, como é do conhecimento geral, o Sporting de Braga venceu o troféu. A emotiva decisão através de grandes penalidades sorriu aos bracarenses. É também verdade que o Porto, que esteve a perder por 2-0, conseguiu empatar e ninguém se surpreenderia se acabasse por ganhar o jogo no prolongamento, o que só não se verificou por falta de ocasião. E agora levanta-se uma questão teórica e pertinente: Pinto da Costa despediria José Peseiro se o Porto tivesse vencido em Oeiras? Nunca o saberemos e é pena. O futebol tem destas coisas. 



Sobe e Desce 
Sobe 
Mais encanto a suplente - Iker Casillas
O espanhol marcou pontos junto da "afición" portista não só por não ter jogado no Jamor mas também por ter expressado tão graficamente o sentimento geral. 

Um adeus argentino - Nico Gaitán 
Gaitán despediu-se do Benfica na noite da sétima Taça da Liga conquistada pelos tricampeões nacionais. O argentino saiu em beleza. Gente feliz com lágrimas. 

Ganhas a bola em direto - Jorge Jesus 
O único troféu individual da temporada sportinguista foi para o treinador do Sporting tendo-lhe sido entregue em mãos no decorrer de um programa de televisão. 



Fonte: Leonor Pinhão @ correio da manha

Sem comentários: