terça-feira, fevereiro 02, 2016

A tal capacidade crónica

Suk é estrangeiro, é um cidadão sul-coreano, mas bastaram-lhe poucos meses entre nós para se ver na urgência de comunicar ao presidente do Vitória que, independentemente dos valores postos em causa na sua transferência, a sair de Setúbal preferia fazer-se à estrada rumo ao Porto do que rumo ao Sporting, destino que até lhe ficava mais em caminho. 

Se, em vez de ser cidadão sul-coreano, o Suk fosse cidadão norte-coreano sentir-se-ia provavelmente mais em casa em Alvalade onde encontraria, com o respeito devido, um presidente à maneira daquelas paragens, enfim, castiças. Um daqueles presidentes que já vêm com pedestal incluído, que clamam por "purgas" internas, que desterram opositores, que sonham com a aniquilação da concorrência através de bombas (mas de fumo), que dão corda a tropas fandangas e que se auto-homenageiam em cada momento oratório ou epistolar com aforismos que, normalmente, são destratados nos dias seguintes pela dura realidade. 

Neste mercado de inverno, o autoproclamado mais esperto e ladino dos negociadores do futebol português – e, sim, é verdade que em maio se propôs vender bifanas a 20 euros aos sócios do Sporting – voltou a perder jogadores para um rival porque esses mesmos atletas, tal como Suk na semana passada e tal como Cervi e Mitroglou no verão passado, preferiram rumar a outras paragens sem olhar à oferta financeira. 

Fernando Oliveira, o presidente do Vitória de Setúbal, explicou recentemente que "a proposta do Sporting por Suk era muito superior à do Porto" mas que não conseguiu dissuadir o jogador. Já Carlos Pereira, o presidente do Marítimo, não se alongou muito a narrar ao povo a preferência de José Sá e de Marega pelo Porto. Disse apenas que o Sporting se demorou a decidir e que a vontade dos jogadores foi tida em conta por todas as partes. 

Caridosamente, evitou citar o episódio da transferência de Danilo do Funchal para o Dragão depois de ter sido dado como certo em Alvalade e, sempre contido, dispensou a benesse de relembrar a ameaça bombástica que lhe foi lançada em junho pelo presidente do Sporting – "Carlos Pereira que espere, é só chegar da Turquia…"- quando se deu por consumada a fuga do tal Danilo. 

Acontece que Bruno Miguel já chegou da Turquia há sete meses, que o presidente do Marítimo continua de boa saúde e, por incrível que pareça, continuam em liberdade os mentores do site Football Leaks cuja prisão iminente foi anunciada já vai fazer quatro meses. Assim não vale. 



Outras histórias 
E até Talisca fez as pazes consigo próprio e com a bola 
O Benfica tem o ataque mais demolidor de Portugal e arredores. O problema do Benfica é que, embora marcando muitos golos, não os tem sabido distribuir convenientemente. Veremos se alguns da meia dúzia aplicada ao Moreirense na última terça-feira não vão fazer falta amanhã no jogo com o mesmo Moreirense a contar para o campeonato. Esta febre goleadora que ataca a equipa pode, no entanto, vir a revelar-se perigosa se os seus dois maiores artilheiros – Jonas e Mitroglou – persistirem na discussão pública das suas contabilidades individuais e da honraria que é, e sempre será, a de marcar um golo de águia ao peito. Felizmente ambos souberam encerrar o inaudito incidente do jogo com o Arouca fazendo-se fotografar em afável confraternização no dia seguinte. Mas a melhor notícia da semana para os benfiquistas não foi de todo a das pazes feitas entre o brasileiro e o grego. Foi a das pazes feitas de Talisca consigo próprio e com o imenso futebol que tem para oferecer. 



Sobe & Desce 
Sobe 
Um, dois, três e vão quatro... 
Quem pagou o seu bilhete na noite de Moreira de Cónegos não pode dar um cêntimo por desperdiçado perante a arte posta em campo pelo argentino do Benfica. 

... e deita abaixo o guarda-redes... 
Como se não bastasse o que fez à defesa do Moreirense, Gaitán ainda se deu ao luxo de deitar o bom do Nilson por terra com uma finta de elevado gabarito. 

E fecha à patrão 
E, pronto, foi golo! Se os emissários do Atlético de Madrid estiveram atentos na terça- -feira, o preço do argentino poderá ter subido uns quantos milhões. 



Pérola 
"Nós não entramos por esses folclórios" - Jorge Jesus


Fonte: Leonor Pinhão @ Correio da manha

Sem comentários: