sábado, janeiro 16, 2016

Para Jonas não há mau palco

Karl-Heinz Rummenigge, diretor-executivo do Bayern de Munique e presidente da Associação Europeia de Clubes, considera que o campeonato português não vale nada em termos de notoriedade, que não passará de um entretém regional sem dimensão que o equipare aos campeonatos dos países civilizados. E, por ser alemão e viver a milhares de quilómetros da periferia, Rummenigge abalançou-se nestas considerações sem nunca sequer ter precisado de ler as cartas abertas com que Octávio Machado tem vindo a contemplar o País. 

O patrão bávaro acredita que a prosperidade do futebol no continente europeu passa por uma futura superliga internacional que reúna as grandes equipas dos melhores campeonatos, que, no seu juízo, são os que se disputam na Alemanha, em Inglaterra, em Itália, em França e em Espanha. Quanto ao campeonato português, nem uma referenciazinha, o que é pior do que não dizer nada… E Rummenigge, certamente por não ser assinante da Sport TV, nem sequer sonha que na principal liga portuguesa há um número irrazoável de jogos que ou nunca mais começam ou nunca mais acabam em função de o recinto ter sido construído em local de brumas permanentes, dispondo, no entanto, de 700 lugares de parque para automóveis equipados com faróis de nevoeiro. Quem diria que o nosso campeonato, que todos vivemos com tanta intensidade, que ocupa um espaço quase absoluto nas nossas conversas e nas grelhas informativas das nossas televisões, visto do estrangeiro não vale um zero à esquerda? 

A ‘invisibilidade’ do futebol português, de que o Estádio da Choupana é a mais justa e apropriada das metáforas, tem sido episodicamente furada pelos percursos do Porto e do Benfica nas competições europeias de clubes, embora nem valha a pena lembrar o que se passou na última temporada com o Benfica, que se despediu da Europa tão prematuramente, e com o Porto, que baqueou frente ao clube do tal Karl-Heinz Rummenigge. Na nossa tão desapreciada Liga há, no entanto, uma ave rara que se mede com os melhores para lá de Badajoz. Trata-se de Jonas, o atual líder da corrida pela Bota de Ouro europeia. 

Ainda na última jornada, naquele transe que começou no domingo e acabou na segunda-feira, o avançado brasileiro voltou a provar que um verdadeiro artista sabe exibir-se em pontas sobre o pior dos palcos. Viram-no no Funchal? É que, enquanto os outros lutavam por não tropeçar no batatal funchalense, Jonas dançava, ria, voava e marcava golos sem sujar os calções. E também sem sujar os cotovelos. Jonas é mesmo de outro campeonato. 



Outras histórias 
A sucessão do treinador do Porto 
Se "vai ser uma pessoa", enfim, já é um passo em frente 
Julen Lopetegui despediu-se por carta do futebol português. Disse que sai "com a ideia de que os bons momentos foram muitos mais do que os maus", o que é bastante esclarecedor da sua total falta de noção do lugar onde foi parar há ano e meio e de onde saiu há pouco mais de uma semana. Acrescentou, e certamente sem querer fazer rir, outro balanço pessoal, no mínimo, discutível: "Tivemos noites tão especiais no Dragão que dificilmente serão esquecidas." Para os rivais do Porto, sim, como esquecer a noite em que Lima fez dois golos que garantiram uma vitória imaculada do Benfica, a tarde em que o Sporting de Marco Silva lhe deu um verdadeiro baile numa eliminatória da Taça de Portugal ou, mais recentemente, uma outra noite em que o Dínamo de Kiev acabou com os altos sonhos europeus do Porto na Liga dos Campeões? Pinto da Costa, por sua vez, voltou a aparecer em público e anunciou que o próximo treinador "vai ser uma pessoa". Enfim, já é um passo em frente. 



Sobe e Desce 
Sobe 
De novo genial -Shikabala 
A carreira do nosso conhecido Shikabala é um rol de situações extremas. Esta semana voltou a ser genial marcando um golo do outro mundo pelo Zamalek. 

Olha o cotovelo! - Alan 
Aqui está o veterano jogador bracarense apanhado em flagrante a explicar a Jorge Sousa que o cotovelo de Slimani é o que mais sobe nesta Liga 2015/2016. 


Desce 
Temperatura a descer - Teo Gutiérrez 
Na Colômbia é verão, está calor. E, francamente, que mal faz uma pessoa em ir à praia sabendo o frio que tem à espera no regresso ao velho continente? 


Pérola 
"O Porto a esse nível [das arbitragens] tem estado calminho", Octávio Machado  


Fonte: Leonor Pinhão @ correio da manha

Sem comentários: