sábado, janeiro 25, 2014

Sobre a vida sexual de certos franceses muito feios

Ricardo Araújo Pereira
O poder corrompe e o poder absoluto corrompe absolutamente, mas o poder francês, ao que parece, seduz irresistivelmente. A quantidade de altos dignitários franceses que acasalam acima das suas possibilidades não tem paralelo com o que sucede noutros países, e deve dar que pensar a todos os analistas internacionais - e à própria União Europeia. François Hollande, uma espécie de Humpty Dumpty gaulês, está envolvido em casos extra-conjugais quando, havendo justiça, teria dificuldade em entrar no mundo da simples conjugalidade. Todas as senhoras que se deixaram seduzir pelo actual presidente francês jogam na Liga dos Campeões da sensualidade, ao passo que Hollande milita na segunda divisão B da alopécia progressiva, da miopia e do duplo queixo. É um escândalo que Hollande possa disputar uma só partida com qualquer destas senhoras, quanto mais participar num mini-campeonato com todas.
O seu antecessor, Nicolas Sarkozy, já teve três esposas, sendo a última uma das mais famosas modelos dos anos 90. Recordo que Sarkozy difere daqueles gnomos de jardim apenas na medida em que, alegadamente, não é de barro, nem faz xixi para dentro de fontanários.

Sobre a vida sexual de Dominique Strauss-Khan, um lascivo badocha, há obras publicadas. Parece que é muito variada, e inclui tanto senhoras que desejam participar nela como outras que estão lá a contragosto. Mesmo descontando as últimas, aparentemente em grande número, sobra uma quantidade bastante grande de senhoras às quais o rotundo homúnculo consegue agradar.

Deste conjunto de factos é importante retirar conclusões políticas e farmacêuticas. Políticas porque há qualquer coisa na democracia francesa que a eleva acima dos outros regimes. O povo francês, ao que parece, não delega apenas o poder nos seus representantes. Delega também uma capacidade de atracção sexual que os eleitores portugueses, claramente, não transferem para aqueles em quem votam - como podemos confirmar sempre que olhamos para Aníbal Cavaco Silva. Mas há também uma conclusão farmacêutica, a saber: não faz sentido gastar dinheiro em produtos capilares, curas de emagrecimento e cremes para a pele. O caminho para o coração de uma mulher é o poder político francês. Presidir a uma junta de freguesia dos arrabaldes de Marselha produz mais e melhores resultados que uma lipoaspiração. As revistas masculinas podem parar de insistir nas dicas de beleza.

Fonte: Ricardo Araújo Pereira@Visão

Sem comentários: