quarta-feira, novembro 11, 2009

Goleadas do Benfica já custaram 1 milhão € à CGD

Arranque de época demolidor do Sport Lisboa e Benfica. Passadas dez jornadas, o clube da Luz está no primeiro lugar da Liga Sagres, em igualdade com o Braga, com oito vitórias e 31 golos marcados. Além das alegrias que tem dado a todos aqueles que se deslocam ao Estádio da Luz, o rendimento ofensivo do Benfica em mais de trinta anos está a dar dinheiro aos sócios e adeptos. Lançado há dois anos, o cartão de crédito Benfica da Caixa Geral de Depósitos (CGD) conta, segundo fonte oficial do banco, com um número de adesões já próximas dos 20 mil. Tendo em conta que o cartão destinado aos adeptos - o Benfica Adepto - dá 1,5 euros por cada golo marcado, a CGD poderá já ter pago 930 mil euros a todos os adeptos aderentes do cartão. Não é possível apurar o valor definitivo uma vez que o prémio a pagar por golo está indexado ao gasto que o cliente faça mensalmente com o cartão, entre um mínimo de 150 e um máximo de mil euros.

"Tem sido evidente o crescimento das adesões aos cartões Benfica. Esperamos que os sócios e adeptos continuem a aderir como até aqui. De realçar o arranque promissor da equipa do Benfica, que tem alavancado estes resultados", revelou ao Diário Económico fonte oficial da CGD. A expectativa ganha força quando analisada a veia goleadora do clube na época transacta. Há um ano atrás, o Benfica, então liderado por Quique Flores, contabilizava apenas 18 golos à décima jornada, o que representou um desembolso financeiro muito inferior para a CGD face ao actual.

Além da versão para adeptos, o banco estatal tem ainda uma versão do cartão destinada aos sócios. Com os cartões Benfica Member e Benfica Member Gold, a CGD remunera até 2 euros por cada golo marcado pela equipa comandada por Jorge Jesus. Na altura do lançamento do cartão, em Agosto de 2007, os responsáveis da instituição financeira não contariam com as recentes goleadas do clube da Luz. Na prática, cada aderente já encaixou 62 euros pelos 31 golos marcados nesta época, caso utilize o cartão para despesas superiores a mil euros. Entre as 20 mil adesões ao cartão, a CGD não distingue entre cartões para sócios e para adeptos, sendo que os primeiros remuneram melhor os golos da equipa.

Facturação dita remuneração

Apesar do elevado montante que a CGD tem de remunerar aos sócios e adeptos do Benfica, esta é a forma ideal do banco estatal não só fidelizar clientes como o produto certo para ver "engordar" a sua carteira de clientes.

A somar a isto, a CGD não sai a perder desta parceria com o clube encarnado. O cartão apresenta uma anuidade de 20 euros a qual são acrescidos custos de utilização dos cartões. Além disso, a remuneração que é creditada a cada dia 16 de cada mês está não só dependente do número de golos marcados pela equipa de futebol, como da facturação mensal. Ou seja, para receber quer os 1,5 euros ou os 2 euros por golo o cliente terá de gastar por mês mais de mil euros em compras a crédito com o Cartão Benfica. Com gastos inferiores, os prémios são também menores.

Entretanto, e no âmbito de outra parceria, o Benfica deve apresentar em breve um aumento dos descontos no preço do combustível na Repsol para os sócios, apurou o Económico. O clube e a Repsol renovaram ontem o acordo nas áreas de marketing e comercial para os próximos três anos. Na ocasião, António Calçada de Sá, presidente da Repsol Portugal, disse que o Benfica "é um dos clientes mais importantes no mercado português".

in Diário Económico

Sem comentários: