segunda-feira, novembro 05, 2012

O custo das más contratações


Há muito que se ouve falar nos milhões que Vieira e Companhia gastam em jogadores de má qualidade e sem categoria para jogar no Benfica.


É verdade que muitos passaram nos últimos anos pela Luz e muito dinheiro se pagou pelos seus passes. Mas há uns dias atrás achei que seria interessante ver quanto custaram realmente esses jogadores, e o que se passou noutros clubes. 


O estudo que apresento neste texto, é sobre todos os jogadores que vieram para o Benfica (e para os corruptos e osgas) entre 2004/2005 e 2011/2012, que não tenham contribuído significativamente para os resultados colectivos (por exemplo não posso considerar um jogador como Saviola que em 3 épocas deu tanto para o clube, tal como não considero o Cebola Ranhosa no Porto) e que entretanto saíram ou foram vendidos. Não considero para este estudo jogadores que ainda esteja com contrato com os clubes. Se forem vendidos ou dispensados, então o estudo terá que ser analisado. 




A lista de jogadores do Benfica é a seguinte: 
Karadas, Everson, Carlitos, André Luiz, Amoreirinha, Moretto, Karyaka, Manduca, Beto, Fonseca, Marcel, Paulo Jorge, Miguelito, Diego Souza, Makukula, Bergessio, Edcarlos, Adu, Sepsi, Luís Filipe, Andrés Dias, Binya, Halliche, Sretenovic, Filipe Bastos, Balboa, Yebda, Eder Luíz, Patrick, Shaffer, Weldon, Roberto e Emerson. 


São 34 jogadores que entraram e saíram do Benfica. Alguns até que conseguiram ajudar a equipa nalguns momentos (Weldon, Yebda, Luís Filipe, etc) mas o certo é que nunca conquistaram o seu lugar. 


E agora a pergunta... quanto custaram estes 33 senhores? Usando os dados do site transfermarkt, os passes deles ficaram na casa dos 50 milhões de euros. 


Muito dinheiro para quem fez tão pouco. Sem dúvida que investir 50 milhões em jogadores que não tragam resultados significativos, pode ser considerado uma barbaridade. 


Mas a verdade, é que devemos ir um pouco mais longe nesta análise e pensar no que se passou quando os jogadores saíram do Benfica.


Desses 33 jogadores, bem mais de metade foram vendidos e alguns que foram dispensados, foram durante algum tempo emprestados a troco de dinheiro. 


Com as vendas e empréstimos, e analisando os dados no mesmo site, o Benfica terá recuperado qualquer coisa como 39 milhões de euros. Tendo resultado num prejuízo na casa dos 11 milhões de euros (que é mais ou menos 22% do total investido). 


E assim chegamos à primeira conclusão deste estudo: o Benfica não perdeu 50-60 milhões nestes jogadores, como muitos afirmam. Investiu sim esse valor mas conseguiu recuperar quase 80%. Teve prejuízo, mas muito abaixo do que se diz.



Mas mesmo assim são 11 milhões e é dinheiro. Mas será que é muito ou pouco? Para responder a isso teremos que analisar o que se passou no mesmo período com as contratações falhadas de Corruptos e Osgas Submissas. 




Nos corruptos entraram e saíram os seguintes jogadores: 
Thiago Silva, Leandro, Leo Lima, Bruno Gama, Areias, Pitbull, Ibson, Cech, Sonkaya, Alan, Jorginho, Diogo Valente, João Paulo, Renteria, Mareque, Ezequias, Sektioui, Stepanovic, Bolati, Edgar, Kaz, Leandrinho, Luís Aguiar, Rabiola, Tomás Costa, Benítez, Pele, Prediger, Orlando Sá, Valeri, Beto, Janko. 


32 jogadores ao mesmo nível dos nossos 33 que custaram na casa dos 54,5 milhões de euros. E que acabaram por ir parar a outras paragens. 


Quanto recuperou o clube corrupto? Será que conseguiram recuperar o mesmo que o Benfica conseguiu? 

A resposta é NÃO. No total estes jogadores só renderam cerca de 24 milhões de euros. Isto é, entre a compra e a venda, foram mais de 30 milhões de prejuízo. Só recuperaram 43% do valor investido (pouco mais de metade dos 77,5% que o Benfica recuperou). 





E nas Osgas do Alvalixo? O que se passou com os jogadores Pinilla, João Alves, Wender, Celsinho, Purovic, Stojkovic, Ricardo Batista, Pongolle, Pedro Mendes, Mexer, Torsigleri, Valdez, Zapater, Nuno A Coelho e Rodriguez? 


Bom... foram menos e o valor investido foi menor. Foram só 15 mas os gastos foram de pouco mais de 30 milhões. E no final só recuperaram cerca de 5 milhões de euros. 

No Alvalixo, estas contratações deram um prejuizo de 25 milhões de euros, o que quer dizer que só recuperaram cerca de 17% do valor investido.


Chegamos assim à segunda conclusão do estudo: o prejuízo no Benfica é muito inferior ao que aconteceu nos Corruptos e nas Osgas. Mesmo tendo em conta que Osgas investiram muito menos. 


É interessante que a direcção do Benfica seja constantemente criticada por desperdiçar dinheiro em contratações falhadas, mas os números mostrem que se consegue recuperar mais de 75% do valor investido na compra dos passes e que no caso dos corruptos não se recupere nem 40% e no caso dos palmiers do Campo grande, nem 20%.


Estes números mostram que mesmo quando se cometem erros, no Benfica tenta-se minimizar o seu impacto nas contas. Sabemos, pelas palavras de DSOliveira, que o Benfica não paga salários a jogadores emprestados a outros clubes, e por estes números percebemos que se tenta sempre recuperar grande parte do dinheiro investido nos jogadores. 


O futebol é um negócio de risco. Grandes jogadores muitas vezes fracassam, não se adaptam ou simplesmente não aguentam a pressão. Mas como em qualquer outro negócio é preciso que quem arrisca, saiba como agir quando as coisas correm mal.

Um bom domingo para todos,
 

P.S. Delibasic e Alcides vieram emprestados. 
Marco Ferreira, Robert chegaram a custo zero e sairam a custo zero. 
Falta neste estudo Canales, que ainda assim acabou até por dar lucro. Custou 250 m€, foi vendido por 500 m€. E o transfermarkt diz que o Gondomar ainda pagou 150m€ pelo seu empréstimo. 
 
By VeRMeLHoVZKy in O Antitripa

Sem comentários: